Mito ou realidade?

A existência do maligno